sexta-feira, 11 de agosto de 2017

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO PARA 10º DOMINGO APÓS PENTECOSTES (19º DO TEMPO COMUM), 13 DE agosto DE 2017ANO A, COR LITÚRGICA: VERDE.



Antigo Testamento: Gênesis 37.1-4,12-28

Salmo 105.1-6,16-22,45b ou 1Reis 19.9-18 ou Salmo 85.8-13

Epístola: Romanos 10.5-15

Evangelho: Mateus 14.22-33


"JESUS LOGO ESTENDEU A MÃO, SEGUROU PEDRO, E LHE DISSE: 'HOMEM FRACO(*) NA FÉ, POR QUE VOCÊ DUVIDOU?'." (Mateus 14.31)

(*) É realmente difícil, para a criatura humana, acreditar piamente na mensagem de Jesus Cristo. Não devemos perder o foco do que o Mestre nos ensinou: amar, amar, amar, até que seja necessário doar (sacrificar mesmo) a própria vida. Esse foi o seu exemplo, sem esmorecer, até a morte de cruz. Pelo seu sacrifício, sim, não precisamos mais derramar sangue. Mas devemos ter em mente que isso pode acontecer. Especialmente, temos exemplos históricos dos mártires. Portanto, não devemos nos esquecer da centralidade da mensagem de Jesus: amar ao próximo como a si mesmo e a Deus, acima de todas as coisas. Nesse sentido, lembramos dessa história eivada de simbolismos significativos para nós: seguidores de Jesus. Pedro simboliza cada indivíduo da comunidade de fé. Sua atitude não é isolada e característica somente dele. Todos nós, seres humanos, estamos sujeitos a abalos na nossa fé. Jesus Cristo corrige isso mostrando que ele está pronto a nos dar a mão, a nos impulsionar, mas nos alerta para buscarmos uma fé firme e corajosa, confiantes de que ele está sempre conosco e nos ajuda a superar as dificuldades. O barco, por sua vez, representa a igreja em si. O conjunto daqueles que caminham com Jesus e estão vivendo em outra marca simbólica: o mar e suas ondas, muitas vezes procelosas. Nós, seres cheios de dúvidas e falhos, estamos numa comunidade que vaga em meio a dificuldades. São tormentas que nos causarão medo, mais ainda se estivermos fora do nosso grupo de fé. Pedro temeu porque saiu do barco e porque deixou-se tomar pela dúvida com relação a Jesus. Desfocou do Mestre e duvidou de suas próprias forças, pois se sentiu sozinho. Não devemos perder o foco do que Jesus disse para eles: "Coragem! Sou eu. Não tenham medo". É bom salientar que o medo alimenta o inimigo de nossas almas. Portanto, o que Jesus faz é deixar-nos preparados para enfrentar as procelas. Que essa atitude de Pedro seja exemplo para enfrentarmos com coragem e com Jesus as dificuldades que a vida, naturalmente, nos impõe.

Extra Ecclesiam Nulla Salus!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.

Nenhum comentário:

Postar um comentário