segunda-feira, 24 de outubro de 2016

O calendário litúrgico*


Tempos e cores litúrgicas**
Rev. Sandro Xavier***

Ao longo do tempo, a igreja foi organizando sua forma de seguir o dia litúrgico de maneira que se observe o caminho da história da salvação, o que também guia os cristãos em suas celebrações.

O calendário litúrgico adotado pela Família Reformada em todo o mundo pode encontrar algumas variações, mas se apresenta de forma consistente. Ele se divide em três ciclos para os domingos, dedicados às leituras principais dos evangelistas: Ano A (ano de Mateus), Ano B (ano de Marcos), Ano C (ano de Lucas). As leituras de João não ficam de fora, apesar de termos somente três ciclos. Elas são feitas todos os anos, mas concentradas perto do Natal, da Quaresma e da Páscoa. Além disso, também complementam o Ano B, de Marcos, devido a este Evangelho ser mais curto do que os outros.

As leituras dominicais têm uma especificidade litúrgica e levam os fiéis a viverem o ano cristão, o ano da igreja, com o direcionamento bíblico e com a observação do calendário eclesiástico.

Outra base de leitura que também foi preparada para orientar o povo de Deus no contato com as Sagradas Escrituras preenche os outros dias da semana. Os ciclos, nesse caso, são divididos em anos pares e ímpares, contemplando toda a semana e também considerando uma unidade, sempre que possível, com as leituras dominicais, especialmente em festas marcantes como Páscoa, Natal e Pentecostes.

A ideia de conceber um calendário com as leituras que orientem para a vivência de um ano baseado na fé cristã, e que pudesse unir os fiéis em todo o mundo nas mais variadas denominações – ainda que se considerem diferenças básicas –, vem da atitude milenar da sinagoga de fixar leituras do Antigo Testamento que apontem para as festas judaicas. Dessa forma, o povo cristão se viu no dever de trazer esse direcionamento para a cristandade, unindo os crentes em torno da Palavra de Deus e baseando sua vida nela.

É bom salientar que a Família Reformada, em todo o mundo, comemora datas que para nós podem parecer estranhas. Todavia, seu espírito se encontra dentro da compreensão bíblica e das orientações de Jesus Cristo. Dessa forma, no calendário, há leituras para dias especiais, como Apresentação do Senhor, Unidade dos Cristãos, Todos os Santos (1º de novembro), entre outros.

O calendário tem algumas variações, que sofreram uma série de atualizações. Elas buscaram ajustar necessidades e críticas, como a falta de encaixe entre as leituras do Antigo Testamento e as do Novo Testamento, o que também gerou a criação dos ciclos A, B e C, assim como outras mudanças feitas para contemplar certas observações.

A utilização do Calendário Litúrgico serve para manter a igreja unida no tocante ao que vai celebrar, quais serão os temas partilhados nos seus púlpitos e as festas cristãs que devem ser lembradas.

A observação de seus textos propicia que um grupo de igrejas, mais comumente um presbitério, na tradição presbiteriana, consiga manter a unidade na reflexão da Palavra de Deus. Dessa forma, membros de igrejas distintas estariam em consonância com a mensagem bíblica, mesmo em comunidades diferentes.


(*) Trecho do livro A Liturgia Reformada: história, momentos no culto e inovações, que está prestes a ser lançado e terá divulgadas suas formas para adquirir.
(**) O autor da imagem é desconhecido.
(***) Sandro Xavier é administrador de Calendário Litúrgico - Liturgia Reformada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário