segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A TOGA ECLESIÁSTICA


Rev. Andrés Ayala* 

“Que os teus sacerdotes façam sempre o que é certo! Que os teus servos fiéis gritem de alegria!” (Salmos 132.9)

A toga é uma veste associada à função de ensino e de jurisprudência em questões espirituais, atribuídas ao pastor. A toga eclesiástica é de uso antigo da igreja e muito utilizada na tradição reformada. Sempre na cor preta, com distintivos conforme o grau acadêmico de quem usa, a toga é constantemente associada ao uso docente, com tipete e capelo. Na liturgia, ela também é designada como veste específica para o pregador. A toga eclesiástica também é utilizada para ocasiões acadêmicas como colação de grau em teologia, ou quando o pastor oficia um culto de colação de grau para qualquer outro curso.

A toga não é uma veste sacerdotal. No entendimento da Reforma, sacerdotes somos todos os cristãos pelo batismo. É por isso que,desde o início, os ministros evangélicos deixaram o uso das vestes sacerdotais: talar, estolas e casulas. Atualmente, a falta de conhecimento litúrgico faz com que alguns ministros adotem o uso de estolas sacerdotais sobre a toga.

O complemento típico da toga, especialmente a chamada “de Genebra” é a gravatinha. O design pode variar, podendo ser absolutamente branca, branca com bordas pretas ou preta com bordas brancas. A gravatinha do pregador não dispensa o colarinho clerical.

A toga, como veste acadêmica que é, tem a própria simbologia. O talar preto é uma lembrança do manto de Jesus Cristo, símbolo de nobreza e santidade. O tipete (estola acadêmica) representa o espírito de serviço e fidelidade. A gravatinha, que une a cabeça com a toga, é símbolo da união necessária do corpo e a razão, e da responsabilidade com o ofício da palavra.

Infelizmente, o uso da toga tem sido gradualmente abandonado, argumentado com uma falsa humildade. Uma veste não faz especial a pessoa que a leva, mas distingue a dignidade e autoridade do ofício que exerce.


Vistam-se com a nova natureza, criada por Deus, que é parecida com a sua própria natureza e que se mostra na vida verdadeira, a qual é correta e dedicada a ele. (Efésios 4.24)


(*) Rev. Andrés colabora com Calendário Litúrgico Reformado.

Imagem: Rev. Andrés vestindo sua toga genebrina com gravatinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário