sexta-feira, 8 de setembro de 2017

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO PARA O 14º DOMINGO APÓS PENTECOSTES (23º DO TEMPO COMUM), 10 DE setembro DE 2017ANO A, COR LITÚRGICA: VERDE.






Antigo Testamento: Êxodo 12.1-14

Salmo 149 ou Ezequiel 33.7-11 ou Salmo 119.33-40

Epístola: Romanos 13.8-14

Evangelho: Mateus 18.15-20


"TAMBÉM VOS DIGO QUE, SE DOIS DE VÓS CONCORDAREM NA TERRA ACERCA DE QUALQUER COISA QUE PEDIREM, ISSO LHES SERÁ AFEITO POR MEU PAI(*), QUE ESTÁ NOS CÉUS." (Mateus 18.19)

(*) Jesus Cristo segue continua as orientações para evitar que pequeninos se percam, já que isso não é vontade de Deus (ver v. 14 - anterior à perícope deste Evangelho). Ainda que seja possível (ou até inevitável) que alguns se percam, nosso Mestre dá dicas para que se superem alguma situações, ou  se descubra se a pessoa tem condição de parar com atitudes que sejam avessas ao combinado pela comunidade de fé, a partir das orientações da Palavra de Deus e do próprio Jesus. A primeira preocupação do Salvador é com pessoas que divergem, especialmente porque uma tem agido em desconformidade com o amor, respeito e consideração que são orientados aos que convivem na mesma fé naquele que é Todo-Amor. Para ele, é importante que se possa conversar em particular, mostrando as razões da atitude em desconformidade com as orientações das Sagradas Escrituras e apontando para o pecado. Jesus deixa claro que, se alguém te ouve nessas condições, reforçam-se os laços de fraternidade. Por outro lado, se não for possível (talvez até por discordância com algumas explicações ou forma de ver o fato e as orientações) é necessário que se convidem outros irmãos ou irmãs para que acompanhem uma nova conversa e mostrem àquele "pequenino" que deve mudar sua atitude e pensamento. No caso de mais uma discordância, tudo deve ser colocado às claras na comunidade, buscando um acerto da situação. O que pode levar a um afastamento da pessoa se ela não concordar com os apontamentos da comunidade de fé. Essa decisão é tomada para que o convívio salutar do grupo seja preservado. Nesse caminho, temos que levar em conta o versículo que vem adiante. Se Jesus mostra que Deus não quer que ninguém se perca, e devemos fazer o possível para não "descartar" pessoas sem tentar de todas as formas ajustar a convivência em amor, o fato de dizer que o Pai fará aquilo que duas pessoas concordarem, obviamente aponta para a decisão de perdoarem e ajustarem a convivência após as três possibilidades de conversa explicadas por ele. Jesus, portanto, não está mostrando uma forma correta de excluir alguém da igreja, ele está dando oportunidades de se ajustarem, de concordarem e de deixarem que o Pai, que está no Céu, faça o necessário para que a convivência em amor e na fraternidade do Nosso Senhor Jesus Cristo seja estabelecida. E, assim, a comunidade reunida, mesmo que somente com dois ou três, terá a presença do nosso Salvador no meio dela. Amen!

Nulla Potestas Nisi a Deo!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.

Imagem: Sem indicação de autor. Extraída da internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário