quinta-feira, 27 de outubro de 2016

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO para o 24º Domingo após Pentecostes, 30 de outubro de 2016, Ano C, Cor Litúrgica: Verde.


Jesus e Zaqueu


Antigo Testamento: Habacuque 1.1-4; 2.1-4

Salmo 119.137-144 ou Isaías 1.10-18 ou Salmo 32.1-7

Epístola: 2Tessalonicenses 1.1-4, 11-12

Evangelho:
 Lucas 19.1-10


"JESUS LHE DISSE: 'HOJE A SALVAÇÃO ENTROU NESTA CASA, PORQUE TAMBÉM ESTE HOMEM É UM FILHO DE ABRAÃO'." (Lucas 19.9)

(*) Mais do que oferecer cura, libertação da opressão e prosperidade, o que é ofertado a qualquer um, sem distinção, Jesus Cristo deseja que a pessoa consiga sua salvação. Os itens citados anteriormente são desejados por todos. Hoje, especialmente, muitas pessoas querem melhorar de vida à custa da ação de Deus simplesmente: desejo passar em um concurso público e obter um bom emprego com garantia de boa aposentadoria, quero um carro novo e zero-quilômetro, é meu sonho aquela casa grande e confortável em um bairro de boa categoria, e por aí vai. Da mesma forma, pedir a Deus que a saúde seja preservada e melhorada, assim como rogar pelo afastamento do mal, é uma ação comum entre os seres humanos, que, mesmo sem ligação religiosa ou a algum Deus, vivem desejando isso da própria vida. Qual é, então, a diferença nessa ação?: Jesus proclamou que Zaqueu conseguiu a salvação. Ele não somente obteve coisas, mas ele conseguiu seu próprio ser, posto que foi resgatado pelo Criador, ao compreender a profundidade da mensagem do Reino de Deus. O caminho de Zaqueu é um exemplo para qualquer um de nós que deseja a salvação ou mesmo para compreendermos a situação daqueles que se apresentam para conhecerem mais de Jesus. Em primeiro lugar, ele deseja ver Jesus Cristo, ele tem vontade de conhecê-lo. Em seguida, ele se coloca no meio do povo sem exigir privilégio e se disponibiliza a receber Jesus Cristo na sua mais profunda intimidade: o seu lar, junto de sua família. Após isso tudo, Zaqueu se dispõe a reconhecer seus verdadeiros erros, repará-los e não mais cometê-los. Outra atitude da qual não devemos nos esquecer, especialmente nestes tempos tão temerários de ódio panfletário, lamentavelmente exercido e estimulado por muitas agremiações eclesiásticas, é que a ação de Jesus Cristo também foi criticada por muitas pessoas. O que fez Jesus? Aproximou-se do pecador. Foi a sua casa. Comeu com ele. Foi entender sua vida e compreender sua atitude. Ofereceu solidariedade, proximidade, misericórdia e perdão. Enfim, com essa aproximação, Jesus levou salvação à casa de Zaqueu. Sem essa disposição, duas coisas são vistas: a porta da salvação fica fechada e sua atitude missionária está nula. A história de Zaqueu nos traz muitos estímulos à ação missionária aprendida com o próprio Jesus, para além do que os manuais de cursos de missão ao exterior nos trazem tecnicamente.

Omnis Mundus Iucundetur!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.

Imagem: "Jesus e Zaqueu", Grosskirchheim, Alemanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário