quinta-feira, 13 de outubro de 2016

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO para o 22º Domingo após Pentecostes, 16 de outubro de 2016, Ano C, Cor Litúrgica: Verde.



Antigo Testamento: Jeremias 31.27-34

Salmo 119.97-104 ou Gênesis 32.22-31 ou Salmo 121

Epístola: 2Timóteo 3.14 - 4.5

Evangelho: Lucas 18.1-8


"EU LHES DECLARO QUE DEUS FARÁ JUSTIÇA PARA ELES, E BEM DEPRESSA. MAS, O FILHO DO HOMEM, QUANDO VIER, SERÁ QUE VAI ENCONTRAR A FÉ(*) SOBRE A TERRA?" (Lucas 18.8)

(*) Nessa parábola, Jesus mostra a importância de perseverar, insistir, manter o pedido constante a Deus sem esmorecer para que a justiça seja feita. Inúmeras vezes, esse texto é utilizado para que as pessoas não deixem de crer que sua vontade pode ser feita. Soma-se a isso a declaração de Jesus Cristo, no fim dessa perícope, mostrando que isso pode acontecer sim. Todavia, é importantíssimo salientar que se trata de uma questão de justiça, não somente de buscar desejos pessoais atrelados a satisfação de desejos materiais simplesmente. Aquela viúva tinha a demanda de uma justiça contra alguém que lhe tirava um direito. O início do texto mostra que a intenção do Mestre com essa pequena história era de deixar clara a necessidade de insistir na oração. Sem dúvida que todos nós cremos que Deus sabe o que é melhor para seu povo. Inclusive, somos orientados pelo próprio Jesus a orarmos ao Pai declarando que "seja feita a sua vontade". Todavia, a nossa fé é muitas vezes confrontada com situações em que nossa perseverança, nossa declaração de vontade, nossa insistência faz a diferença para que a justiça se cumpra com a percepção daqueles que nos rodeiam. Deus tem seus propósitos com nossas ações e no tempo certo para cada uma delas. Sendo assim, insistimos para demonstrar a Deus nosso comprometimento e para que aqueles que convivem conosco tenham testemunho de nossa convicção e da nossa fé. Quando demonstramos nossa insatisfação com a injustiça, orando a Deus e agindo entre nossos pares, ativamos a ação que não mostra desânimo. O testemunho daquele que insiste em buscar justiça é a mostra de que pela oração e pelo trabalho a vontade de Deus acontece no meio de seu povo.

Ora et Labora!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.


Imagem: "Parábola do juiz iníquo" (1863), por John Everett Millais, em "The parables of our Lord".

Nenhum comentário:

Postar um comentário