sexta-feira, 6 de outubro de 2017

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO PARA O 18º DOMINGO APÓS PENTECOSTES (27º DO TEMPO COMUM), 8 DE outubro DE 2017ANO A, COR LITÚRGICA: VERDE.



Parábola dos lavradores maus


Antigo Testamento: Êxodo 20.1-4,7-9,122-20

Salmo 19 ou Isaías 5.1-7 ou Salmo 80.7-15

Epístola: Filipenses 3.4b-14

Evangelho: Mateus 21.33-46



"POR ISSO EU LHES AFIRMO: O REINO DE DEUS SERÁ TIRADO DE VOCÊS, E SERÁ ENTREGUE A UMA NAÇÃO QUE PRODUZIRÁ SEUS FRUTOS." (Mateus 21.43)

(*) Jesus segue, com suas parábolas, alertando aqueles que colocam seu coração nas leis de ações e palavras que podem ser perfeitamente fingidas e maquiadas para satisfazer as autoridades da sociedade e da religião. Com essa história do arrendamento da vinha, ele mostra que, claramente, aqueles a quem é confiada a sua missão tentarão mudá-la para seu próprio jeito, chegando a ponto de tomá-la para si. Quem nunca viu na porta de alguma agremiação eclesiástica uma placa com o nome do "dono" do "ministério": "MINISTÉRIO FULANO DE TAL"? É o mais comum hoje. É espantoso como as pessoas leem a Bíblia (ou dizem que a leem) mas é como se não ligassem para os alertas de Jesus. Nós, do povo cristão, devemos levar em conta como lei final da Palavra de Deus o que Jesus Cristo falou. Note que nessa reunião Jesus falava para autoridades: os chefes dos sacerdotes e os fariseus sabiam que era deles que estava falando. Essa gente confrontava a mensagem de amor de Jesus com a lei judaica. Logicamente, naquele tempo, a religiosidade era essa. Até Jesus mesmo era judeu. Todavia, nós, hoje, temos a base de Jesus Cristo, seus ensinamentos, seus exemplos, seus (novos) mandamentos. Por ele recebemos a missão de comparar, atualizar, repensar as leis dos profetas e dos antigos. O "ouvistes o que foi dito aos antigos... eu, porém, vos digo" é um estímulo a repensar a lei dentro da soberania de Deus e do amor ao próximo. Sendo assim, nesse trecho, Jesus mostra a eles que, sem a atenção ao que o Mestre orienta, é caminho certo perder o protagonismo no Reino do Todo-Amor. Ouçamos, portanto, a orientação de Jesus como necessária à nossa salvação. Somente com ele, por ele e nele, com seu mandamento de amar, podemos obter a cidadania plena no Reino de Deus.

Salus Haec Est!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.


Imagem: Parábola dos lavradores maus, por Jan Luyken. Gravura na Bíblia de Bowyer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário