sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

LEITURAS DO LECIONÁRIO REFORMADO PARA O 7º DOMINGO APÓS A EPIFANIA, 19 DE FEVEREIRO DE 2017ANO A, COR LITÚRGICA: VERDE






Antigo Testamento: Levítico 19.1-2, 9-18

Salmo 119.33-40

Epístola: 1Coríntios 3.10-11, 16-23

Evangelho: Mateus 5.38-48


"POIS, SE VOCÊS AMAM SOMENTE AQUELES QUE OS AMAM, QUE RECOMPENSA VOCÊS TERÃO? OS COBRADORES DE IMPOSTOS NÃO FAZEM A MESMA COISA?" (Mateus 5.46)


(*) No Sermão da Montanha, em que penso que Jesus Cristo traça suas leis, considerando, assim, as orientações básicas para o cristianismo em todo o mundo e todo o tempo, o Mestre nos dá suas normas para nossa conduta e visão de mundo. São ordenamentos bem difíceis. Ele faz isso sempre comparando as regras vigentes, aquelas cobradas pelos doutores da lei, fariseus e autoridades religiosas. Ele não somente repete a lei, mas analisa, contextualiza, aprofunda e atualiza. Isso poderia ser chamado por muitos de "relativização" da lei, todavia é mais que isso: é levá-la para além das raias da aparência, o que é expediente de muita gente até hoje, não somente de fariseus e doutores da lei. Aliás, essa prática fez com que o adjetivo "fariseu" fosse reconhecido e utilizado hoje em dia como sinônimo de hipocrisia. Note que Jesus Cristo faz, sim, revogação de algumas leis veterotestamentárias por meio de suas atitudes, reflexões e atualizações. Nessa perícope, ele mostra que o "olho por olho" é desumano e desagrada ao Pai de Amor. Vingança nos afasta de Deus e, consequentemente, da salvação. Mas não somente executar vingança revidando um tapa na cara, um processo judicial, ou até mesmo uma obrigação física ou financeira; mas até quando planejamos ou simplesmente desejamos a vingança no âmago. Jesus Cristo aborda a situação do ódio, que era estimulado com tranquilidade e normalidade nas religiões. Era questão de justiça amar o próximo e odiar o inimigo: aquele que deseja seu mal (muitas vezes, somente teórica e aparentemente). Amar o inimigo e orar pelos que perseguem é tarefa daquele que deseja se tornar filho do Pai. Sendo assim, segundo o versículo destacado, não serve de nada amar aqueles que são iguais a você, que fazem o que você espera ou que não te dão o menor trabalho com ideias diferentes. Hoje, sem dúvida, as igrejas convidam pessoas a levar o Evangelho a muita gente. De fato, muitas pessoas têm "entrado pra igreja". Essas pessoas vão aos cultos, compram CDs evangélicos, pegam seu envelope de dízimo, matriculam-se na escola dominical (quando tem), vão aos congressos e tudo mais. Entretanto, essas difíceis (e imprescindíveis) leis traçadas por Jesus Cristo estão sendo observadas? O que se faz com aqueles que até ouvem um convite para ir à igreja e não aceitam? Qual é a atitude da igreja para com os grupos que são divergentes? A mensagem é de amor ou é de aniquilação? O mandamento é de acolhimento ou de destruição? A incitação é para o ódio ou para o amor? A mensagem pregada convida a dar mais uma chance, caminhar mais uma milha, entregar a túnica, ou somos levados a desejar o mal e planejar vingança? Será que a comparação das atitudes de muitos líderes de agremiações evangélicas está sendo feita com essa mensagem de Jesus Cristo? Estamos, de fato, lendo a Bíblia ou somente nos deixando levar por pregações efusivas que nos estimulam a odiar "em nome de Deus", mas um deus de guerra, e não o Deus Todo-Amor? Que as palavras de Jesus Cristo nos façam, de verdade, modificar não somente nossas atitudes aparentes, mas que mude nosso coração, nosso pensamento, nossos desejos. Que sejam para o bem, para a concórdia, para a tolerância, para o amor. O que Jesus Cristo nos diz, e que sempre foi necessário à humanidade, que depois de tanto tempo ainda não entendeu isso, é que precisamos, a começar por nós, seguir com o desafio de exterminar o mal da violência pela raiz. Não podemos passar para frente a agressão, mesmo que somente no desejo do coração. Aí já reside o pecado! É necessário mudança radical, é disso que fala a metanóia. Que esse desafio comece em nós. Que o amor, outro nome para Deus falado na Bíblia (Deus é amor), domine nossa vida, nossos pensamentos, nossos corações. 

Amor Est Vitae Essentia!


Publicado toda quinta-feira (ou perto disso) por aqui e no Twitter @revsandroxavier.


Imagem: De pixabay.com.

Nenhum comentário:

Postar um comentário